Doce Deleite



sexta-feira, 27 de julho de 2007

É o amor que me ilumina...



Descobri muito cedo que a coisa mais importante da vida é o amor... e que tudo que as pessoas desejam é alguém que as ame de uma maneira forte e constante com aquele tipo de carinho que dispensa palavras, que não fica criticando o tempo todo, mas que é um braço estendido na hora em que a gente mais precisa.


Encontrar alguém que ama assim, é uma alegria e faz a gente feliz, sorrindo para a vida.

Há pessoas que têm o dom de levar a beleza por onde passam... parece que carregam na boca um pedaço do céu e os seus rostos têm a clareza e o frescor de uma manhã de sol.


São frascos de perfumes, que mesmo quebrados, exalam a mais encantadora fragância: o amor. O amor torna as pessoas indispensáveis. Se eu amo, eu preciso de você... e isso me faz mais gostar da sua voz do que da minha... então calo para você falar, e ao escutar, estarei amando.


Por isso, se você quiser acender um sorriso, iluminar um coração ou despertar a esperança em alguém, precisa lembrar de uma coisa: as pessoas se alegram com sua inteligência, apreciam seu caráter, mas precisam de seu amor.


O amor tem o poder de transformar todas as coisas e destrancar todas as portas. Só ele faz luzir nossos talentos e resplandecer quem a gente é.


Então, se você calar, cale por amor; se falar, fale por amor; se corrigir, corrija por amor; se perdoar, perdoa por amor.


Se você tiver um amor enraizado, nada senão o amor, serão os seus frutos... e todos se aproximarão. E, aos que perguntarem porque nessa ou naquela circunstância agimos assim, será gostoso responder: "É o amor que me ilumina".





Marcadores:



Escrito por

17:47.
Comente aqui... 1

Um país desgovernado...


Pobre país... Pobre povo... Pobres de todos nós...

Nosso país está desgovernado. Sim, é como se fosse um caminhão sem direção indo em direção a um grande muro. O desastre parece inevitável.

A roubalheira está escancarada, assim como o descaso, a inércia, a falta de senso etc. Nos últimos anos vimos dólares em cueca, dinheiro sendo desviado descaradamente, escândalos atrás de escândalos, entre diversas outras coisas que dariam para escrever um livro de piadas para ninguém botar defeito.

No entanto, não é piada, é vida real. Nada mais no Brasil (eu repito, NADA) está sendo levado a sério. O meio de transporte mais seguro que existe (sim, o avião) virou roleta-russa no país. Aposto como você deve ter rido ao ler "meio de transporte mais seguro".

Até então estávamos acostumados, sedados talvez, a ver a roubalheira que assola o país. Agora corremos o risco de banalizar essa situação caótica que vivemos no setor aéreo. Estamos entrando num território perigoso, que é o de achar que avião caindo é coisa "normal". Estaremos completamente sedados quando ouvirmos a notícia da queda de um avião e dissermos assim "ah, é mais um, o que podemos fazer?". Pense bem, já é assim que estamos ao ouvirmos uma notícia de uma nova roubalheira.

Vidas foram perdidas. Sim, vidas, centenas de vidas. E parece que o "governo" trata isso como uma mera estatística. "É preciso apurar os fatos", diz. Apurar? Apurar mais o quê? Faz quase um ano que o avião da Gol caiu e até agora ninguém do "governo" conseguiu chegar a uma conclusão!

O "governo" rouba nosso dinheiro descaradamente e não investe onde deveria investir. Resultado? Equipamentos obsoletos, apresentando defeitos a cada dia. Mas é fácil jogar a culpa nos controladores de vôo ou nos pilotos que morreram, afinal de contas esses últimos não podem mais se defender.

No meio do caos, a ministra profere uma verdadeira pérola, claramente zombando de todos nós. E ninguém faz nada! A ministra continua no cargo!

Companhias aéreas voam com aeronaves apresentando defeitos, o avião cai, morrem centenas de pessoas. E ninguém faz nada! A companhia continua operando como se nada tivesse acontecido!

Os aviões descem em um aeroporto no meio da cidade, com problemas mais do que sabidos na pista. Os aviões derrapam, perdem o controle. Todos avisam que um dia um desastre pode acontecer. O desastre acontece. E ninguém faz nada! O aeroporto continua operando como se nada tivesse acontecido!

Um assessor do "governo" vê a notícia de que o problema "poderia" (o eterno futuro do pretérito usado no Brasil) ser um defeito na aeronave. O assessor comemora acintosamente. E ninguém faz nada! Ele continua no cargo, como se nada tivesse acontecido!

Alguém sugere que não se deva mais fazer escalas no aeroporto problemático. E outro alguém sugere, então, que se aumente o preço das passagens para compensar isso. É impressionante a cara-de-pau!

E quem é o culpado? O "governo"? Permita-me dizer que o verdadeiro culpado, em última instância, dessa zorra toda é o povo. Sim, o povo.

Esse povo inculto, alienado, que acredita que só porque o dólar cai, o país está às mil maravilhas.

Esse povo ignorante (ignorante, do verbo ignorar, entenda-se bem), que aceita os mandos e desmandos de uma figura que se diz "carismática".

Esse povo burro (aqui burro, de burrice mesmo) que não vê que é roubado pelo atual "governo", pelo "governo" anterior (que era a mesma zorra), pelo anterior do anterior e assim por diante.

Esse povo conformado (leia-se trouxa), que se contenta com futebol, carnaval e cachaça. Tendo isso, o brasileiro está feliz.

Esse povo condolente (leia-se capacho) que aplaude político-defunto ladrão e mau-caráter.

E qual a solução? Há quem diga que a solução é separar o Brasil em vários países: criaríamos a República dos Pampas, a República Paulista etc. Há quem diga que a solução é matar todos os políticos. Há quem diga, também, que a solução é simplesmente esperar as próximas eleições, que as urnas se encaminharão de resolver o problema.

Separar o Brasil? Talvez, mas improvável. Matar todos os políticos? Uma ótima vingança, mas resolveria temporariamente (outros ladrões apareceriam). Esperar as urnas? Urna não resolve nada. Enquanto o povo não aprender que urna não é pinico, não avançaremos um só passo.

A única solução para o Brasil é a educação. É o povo educar-se, saber o que está acontecendo a sua volta, deixar de ser alienado. Isso é educação acima de "escola" somente. É educação social, educação política, educação para a vida.

Coisa que o nosso povo não tem e que o "governo" não tem a menor intenção de dar. Porque, enquanto o povo continuar inculto e alienado, o "governo" pode continuar roubando e comprando o povo com migalhas. O povo, que não tem nada, acredita que as migalhas são uma benção e que o "governo" é o verdadeiro salvador.

A coisa (leia-se o país), dessa forma, encaminha-se para um verdadeiro desastre.

Mas tudo bem. Afinal de contas, somos pentacampeões; ganhamos da Argentina, na final da Copa América, com o nosso time "B"; temos o Pan, estamos quase passando os cubanos no quadro de medalhas; o Botafogo é líder no Campeonato Brasileiro; a cachaça continua sendo vendida nos botecos, onde se pode ouvir calmamente um pagode e discutir (com um impressionante "conhecimento") todos os assuntos, desde uma simpatia para curar bronquite até a física nuclear.

Pobre país...

Pobre povo...

Pobres de todos nós...

Marcadores:



Escrito por

00:23.
Comente aqui... 0


domingo, 22 de julho de 2007

Aos meus Amigos


Amigos: Se poucos, ou muitos, não importa. O que conta é a certeza de tê-los.
Amigos antigos, amigos novos, amigos de perto, amigos de longe... simplesmente, amigos. Gostar, por gostar mesmo. Querer estar junto, partilhar as alegrias, dividir os desabafos, somar o respeito, a gratidão, o amor. Amizade é isso, é querer bem. Nem a distância, nem o tempo, apagam o sentimento fiel de afeição. Feliz aquele que encontrou um amigo e sabe valorizar o efeito que causa uma boa amizade. É uma bênção de Deus.

"Um amigo fiel é uma poderosa proteção: quem o achou, descobriu um tesouro". (Eclo 6,14)

Marcadores:



Escrito por

21:12.
Comente aqui... 1

Mulherão




Pergunte para uma mulher o que ela considera um mulherão. Você vai descobrir que tem uma em cada esquina...

Mulherão é quem leciona em troca de um salário mínimo, é quem faz serviços voluntários, é quem colhe uva, é quem opera pacientes é quem lava a roupa para fora, é quem bota a mesa, cozinha o feijão e, à tarde, trabalha atrás de balcão.

Mulherão é a empresária que administra dezenas de funcionários de segunda a sexta e uma família todos os dias da semana.

Mulherão é quem cria os filhos sozinha, sem depender de homem algum, é quem dá expediente de 8 horas e ainda enfrenta menopausa, TPM e menstruação.

Mulherão é aquela que pega dois ônibus para ir ao trabalho e mais dois para voltar e, quando chega em casa, encontra um tanque lotado de roupa e uma família morta de fome.

Mulherão é aquela que vai de madrugada para a fila garantir matrícula na escola e aquela aposentada que passa horas em pé na fila do banco para buscar uma pensão de R$ 380,00.

Mulherão é quem volta do supermercado segurando várias sacolas depois de ter pesquisado preços e feito malabarismo com o orçamento.

Mulherão é aquela que se depila, que passa cremes, que se maquia, que faz dietas, que malha, que usa salto alto, meia-calça, ajeita o cabelo e se perfuma, mesmo sem nenhum convite para ser capa de revista.

Mulherão é quem leva os filhos na escola, busca os filhos na escola, leva os filhos na natação, busca os filhos na natação, leva os filhos para a cama, conta histórias, dá um beijo e apaga a luz.

Mulherão é aquela mãe de adolescente que não dorme enquanto ele não chega. É quem, de manhã bem cedo, já está de pé, esquentando o leite.

Mulherão é quem arruma os armários, coloca flores nos vasos, fecha a cortina para o sol não desbotar os móveis, mantém a geladeira cheia e os cinzeiros vazios.

Mulherão é quem sabe onde cada coisa está, o que cada filho sente e qual o melhor remédio para azia.

Lumas, Brunas, Carlas, Luanas e Sheilas: mulheres nota 10 no quesito linda de morrer, mas Mulherão mesmo é quem mata um leão por dia!



Escrito por

01:39.
Comente aqui... 0


sábado, 21 de julho de 2007

Aniversário de Valter



Esse gato moreno aí é meu irmão Valter, segundo na ordem de nascimento. Hoje ele está completando idade nova, 53 anos.




"A cada manhã a vida renasce em você, trazendo novas emoções, surpresas, alegrias e até lágrimas. Que você saiba transformar suas pedras em flores e que o seu caminho se torne cada vez mais repleto de sucessos e felicidades!"

Feliz Aniversário! Seja feliz, hoje e sempreeeee!!!!


Marcadores:



Escrito por

17:15.
Comente aqui... 0


quinta-feira, 19 de julho de 2007

A César o que é de César


"Vamos obedecer a Palavra de Deus num todo, não em partes".


Esta sentença: "Dai a César o que é de César", não deve, entretanto, ser entendida de modo restritivo e absoluto. Como em todos os ensinos de Jesus, há nela um princípio geral, resumido sob forma prática, e usual e deduzido de uma circunstância particular. Esse princípio é conseqüente daquele segundo o qual devemos proceder para com os outros como queiramos que os outros procedam para conosco. Ele condena todo prejuízo material e moral que se possa causar a outrem, toda transgressão de seus interesses. Prescreve o respeito aos direitos de cada um, como cada um deseja que se respeitem os seus. Estende-se mesmo aos deveres contraídos para com a família, a sociedade, a autoridade, tanto quanto para com os indivíduos em geral.

Da mesma maneira que exigimos do Estado que ele cumpra o seu papel, devemos honrar com nossas obrigações, pagando os nossos tributos em dia. Isso vale também quando assumimos um compromisso, adquirindo produtos e serviços de terceiros. Aqueles que nos prestam serviços, também têm compromissos para honrar. Pessoas inconseqüentes, com a ânsia de adquirir bens, querendo com isso demonstrar a todo custo um padrão de vida que não possuem, contraem dívidas que com o tempo transformam-se numa imensa bola de neve, e despesas essenciais, tais como Luz, Telefone, Condomínio IPTU e até a Escola dos filhos, deixam de ser pagas. Quem assim age, acaba naufragando num mar de dívidas.

Dar a Deus o que é Deus é obrigação de todo cristão, como também a César o que é de César. Isso Jesus nos deixou bem claro. Portanto, vamos obedecer a Palavra de Deus no todo, não em partes. Chiara Lubich, escritora italiana, sempre nos disse que dívida é coisa do demônio.


Para refletir: "É preferível comermos sardinha e arrotarmos sardinha, mas sem dever a ninguém, a comermos sardinhas e arrotarmos caviar, com os credores à nossa porta todos os dias".


Marcadores:



Escrito por

19:05.
Comente aqui... 0


quarta-feira, 18 de julho de 2007

As minhas sete maravilhas


O Cristo Redentor,
uma das sete maravilhas do mundo

Recebi de uma amiga blogueira, a Maria João, um segundo desafio. Como da primeira vez, ela repassa o desafio que recebeu de outro amigo. Desafio esse, que pede para que eu enumere as minhas sete maravilhas. Desafio aceito. Então vamos lá às Minhas Sete Maravilhas:

1-Santíssima Trindade: Eu vos adoro, Deus três vezes santo, Pai, que nos criastes, Filhos que nos redimistes com vosso sangre, Espírito Santo, que nos santificais com as graças que nos concedeis todos os dias. Fazei que guarde em minha alma vossa semelhança ou imagem, a fim de que, um dia, me reconheçais e reine convosco na eternidade.

Conta-se que Santo Agostinho andava em uma praia meditando sobre o mistério da Santíssima Trindade: um Deus em três pessoas distintas...
Enquanto caminhava, observou um menino que portava uma pequena tigela com água. A criança ia até o mar, trazia a água e derramava dentro de um pequeno buraco que havia feito.
Após ver repetidas vezes o menino fazer a mesma coisa, resolveu interrogá-lo sobre o que pretendia. O menino, olhando-o, respondeu com simplicidade: -"estou querendo colocar a água do mar neste buraco".
Santo Agostinho sorriu e respondeu-lhe: -"mas você não percebe que é impossível?".
Então, novamente olhando para Santo Agostinho, o menino respondeu-lhe: "ora, é mais fácil a
água do mar caber nesse pequeno buraco do que o mistério da Santíssima Trindade ser entendido por um homem!". E continuou: "Quem fita o sol, deslumbra-se e quem persistisse em fitá-lo, cegaria. Assim sucede com os mistérios da religião: quem pretende compreendê-los deslumbra-se e quem se obstinasse em os perscrutar perderia totalmente a fé" (Santo Agostostinho).

2 -Maria Santíssima: A contemplação de Cristo tem em Maria o seu modelo insuperável. O rosto do Filho pertence-lhe sob um título especial... à contemplação do rosto de Cristo ninguém se dedicou com a mesma assiduidade de Maria. (Palavras do Santo Padre João Paulo II na Carta Apostólica “O Rosário da Bem-Aventurada Virgem Maria”, nº 10).

Esta reflexão de João Paulo II ajuda-nos a compreender, de forma bem real, a importância do testemunho de Maria na vida e na Obra salvífica do Senhor Jesus. De certa forma esta compreensão apela para um contato mais profundo com toda a elaboração do pensamento teológico da Igreja, desde os tempos apostólicos, a respeito da Virgem Maria.
A riqueza de textos, sempre partindo das Escrituras e por elas iluminados, ao longo destes 20 séculos, é imensa, é fascinante e não deixa de empolgar a quantos se dedicam ao contato com estes escritos, tanto na Tradição Latina como na Tradição Oriental.

3 -A Vida: Já dizia o poeta Gonzaguinha: Eu fico com a pureza da resposta das crianças, é a vida, é bonita e é bonita! Viver, e não ter a vergonha de ser feliz, cantar e cantar e cantar, a beleza de ser um eterno aprendiz. Eu sei que a vida devia ser bem melhor e será, mas isso não impede que eu repita: É bonita, é bonita e é bonita... Há quem fale que a vida da gente é um nada no mundo, é uma gota, é um tempo que nem dá um segundo. Há quem fale que é um divino mistério profundo. É o sopro do criador numa atitude repleta de amor... Somos nós que fazemos a vida como der ou puder ou quiser. Sempre desejada Por mais que esteja errada, ninguém quer a morte, só saúde e sorte. E a pergunta roda, e a cabeça agita, eu fico com a pureza da resposta das crianças, é a vida, é bonita e é bonita.

4 -Igreja: A Igreja, que é "a coluna e sustentáculo da verdade" (1Tm 3,15), guarda fielmente a fé uma vez por todas confiada aos santos (Jd 1,3). É ela que conserva a memória das Palavras de Cristo, é ela que transmite de geração em geração a confissão de fé dos apóstolos. Como uma mãe que ensina seus filhos a falar e, com isso, a compreender e a comunicar, a Igreja, nossa Mãe, nos ensina a linguagem da fé para introduzir-nos na compreensão e na vida da fé. (Catecismo da Igreja Católica)

5 -Família: Idéia Maravilhosa de Deus. Penso que Deus sempre gostou da idéia da família. Criou Adão e o fez senhor de todos os animais e criaturas do Paraíso terrestre. Mas percebendo que estava muito solitário, criou para ele uma esposa.
Por ser é uma comunidade baseada na vida e no amor, a família não pode se fechar sobre si mesma! Pais, mães e filhos devem sair para fora dos limites de seus lares para santificar seus vizinhos, sua rua, seu bairro. Participar de suas comunidades paroquiais para, junto com outras famílias, mudar estruturas, corações e mentalidades. Colaborar, em última análise, na implantação do Reino de Deus na terra. Por isso nós cristãos, devemos oferecer ao mundo como modelo de família cristã, a Sagrada Família de Nazaré. A família cristã é a união de pessoas batizadas. Pessoas, ao mesmo tempo, santas e pecadores em processo de santificação e que procuram viver da fé em Jesus. É no seio dessa família cristã que os filhos descobrem Deus, e principalmente que Deus é "Amor".

6 -Amigos: Se poucos, ou muitos, não importa. O que conta é a certeza de tê-los.
Amigos antigos, amigos novos, amigos de perto, amigos de longe... simplesmente, amigos. Gostar, por gostar mesmo. Querer estar junto, partilhar as alegrias, dividir os desabafos, somar o respeito, a gratidão, o amor. Amizade é isso, é querer bem. Nem a distância, nem o tempo, apagam o sentimento fiel de afeição. Feliz aquele que encontrou um amigo e sabe valorizar o efeito que causa uma boa amizade. É uma bênção de Deus. "Um amigo fiel é uma poderosa proteção: quem o achou, descobriu um tesouro". (Eclo 6,14)

7 -Brasil. Esse Brasil tão grande, amado é meu país idolatrado terra de amor e promissão. Toda verde, toda nossa de carinho e coração. Na noite quente enluarada o sertanejo está sozinho e vai cantar pra namorada no lamento do seu ninho. E o sol que nasce atrás da serra, tarde inteira rumoreja cantando a paz da minha terra, a toada sertaneja. Este sol, este luar, estes rios e cachoeiras, estas flores, este mar este mundo de palmeiras. Tudo isto é teu, ó meu Brasil, Deus foi quem te deu, Ele por certo é brasileiro, brasileiro como eu."








Marcadores:



Escrito por

00:06.
Comente aqui... 0


terça-feira, 17 de julho de 2007

Oração do blogueiro




Escrito por

15:13.
Comente aqui... 1


segunda-feira, 16 de julho de 2007

Festa de Nossa Senhora do Carmo


Feliz és tu que creste, porque se cumprirá o que o Senhor te anunciou.(Lc 1,45)

São muitos e numerosos os títulos com que o povo de Deus brindou a Mãe de Jesus e nossa também.

Hoje é a grande festa da Ordem dos Carmelitas e da grande família dos devotos de Nossa Senhora do Carmo. O monte Carmelo era célebre no Antigo Testamento pela sua rica vegetação, mas, sobretudo, porque foi teatro de grandes acontecimentos ao tempo do profeta Elias. Fugindo do ímpio rei Acab, Elias escondeu-se numa gruta do monte Carmelo e de lá viu a nuvenzinha da qual devia chover abundante água sobre a terra árida. Pela oração de Elias, no monte Carmelo caiu fogo do céu sobre seu holocausto, como prova evidente que Deus estava com ele e não com os falsos profetas (1Rs 18,1-40).

Segundo uma antiqüíssima tradição, lá se formou um mosteiro de profetas à espera da vinda do Messias. Verdade é que no monte Carmelo vivia uma comunidade de eremitas que, pelo cruzado Bertoldo, por volta do ano 1150, foi transformada em Ordem religiosa melhor adaptada aos costumes do Ocidente. Fugindo às perseguições dos sarracenos, os monges emigraram mais tarde para a Europa.

Na noite de 15 para 16 de julho de 1225 a Santíssima Virgem ordenou ao Papa Honório III que aprovasse sua Ordem. Como as perseguições não deixassem de molestar esses religiosos, São Simão Stock, seu sexto superior geral, implorou da Santíssima Virgem um sinal particular de sua proteção. Em 16 de julho de 1251, a Virgem Maria lhe indicou o escapulário como insígnia especial de seu amor maternal. Daí o nome de Festa do Escapulário dado à solenidade deste dia.
O escapulário é uma veste comum a muitas congregações religiosas mas particularmente distintiva da Ordem dos Carmelitas. Impõe-se hoje também um escapulário de formato pequeno a pessoas do mundo para lhes permitir que participem das grandes graças que a ele estão ligadas; entre outras, o privilégio sabatino.

Em sua bula chamada Sabatina, o Papa João XXII afirma que aqueles que usarem o escapulário serão depressa libertados das penas do purgatório no sábado que se seguir à sua morte. As vantagens do privilégio sabatino foram ainda confirmadas pela Sagrada Congregação das Indulgências, em 14 de julho de 1908.

A devoção a Nossa Senhora do Carmo é das mais antigas e espalhadas pelo mundo, sobretudo nos meios de origem espanhola.




Escrito por

13:30.
Comente aqui... 0

"Pegar leve" para atrair fiéis?



A razão de ser da Igreja não é seu crescimento a qualquer custo. Sua missão, dada por Cristo, é a propagação do Evangelho, interpretando-o de acordo com o desejo de Seu Fundador.

Impressiona-me deveras como, de tempos em tempos, a exemplo de agora, por ocasião da visita do Santo Padre, Bento XVI, a imprensa passa a ter uma súbita preocupação com a Igreja Católica, notadamente no que respeita ao dito declínio do número de seus fiéis. Declínio, aliás, que não mais corresponde com a realidade, segundo última pesquisa do IBGE, que verificou ter-se estabilizado o números de fiéis católicos no Brasil.

Tal preocupação, porém, logo mostra o quão tendenciosa é. Os questionamentos que se dirigem à Igreja, através de seus sacerdotes e outras lideranças, é basicamente esse: "Se a Igreja tem perdido fiéis, a relativização de tais e tais pontos da doutrina não seria uma maneira de atraí-los de volta ou atrair novos?". A despeito da não-condizência com a realidade do declínio de fiéis e de uma avaliação maior acerca da eficácia da proposição, é de se refletir, antes de tudo, sobre a própria Santa Igreja Católica Apostólica, sua natureza e suas finalidades.

Ocorre que a Igreja não é o fim último de si mesma. A razão de ser da Igreja não é seu crescimento a qualquer custo. Sua missão, dada por Cristo, é a propagação do Evangelho, interpretando-o de acordo com o desejo de Seu Fundador. Obviamente, preocupa-se a Igreja com eventual evasão de fiéis, bem como com esses fiéis que evadem, mas não como uma preocupação meramente matemática. A Igreja quer, sim, crescer e desenvolver-se porque assim cumprirá sua missão. Também se preocupa com os fiéis que se afastam porque sabe que sua felicidade está em Cristo. A Igreja, preocupada com a felicidade dos fiéis, deseja-os em seu seio.

A Igreja, porém, só realiza sua natureza, sua essência e missão, quando transmite o Evangelho do Senhor, quando colabora na realização do Reino de Deus já neste mundo e rumo à Eternidade. Ela não pode, portanto, trair a mensagem de Seu Fundador, não pode reinventá-la, modificá-la, sob pretexto algum, ainda que seja para agradar fiéis ou infiéis. Se ela contrariasse sua doutrina, traindo a Palavra do Mestre, não mais portaria a Salvação, não mais levaria o Reino de Deus, a felicidade.

Se não mais está portando a verdade, a Salvação, o Reino, a felicidade, Deus, de nada mais adianta que os fiéis continuem fiéis. Vazia de sua essência, nada teria a dar ou fazer por aqueles que lhe fossem fiéis. Fiéis sem uma doutrina da verdade já não são mais fiéis. A Igreja mesmo, se não é para guardar e transmitir a Palavra do Senhor e, assim, realizar sua missão e implementar o Reino de Deus, perderia sua serventia. Tratar-se-ia de uma organização meramente humana, sem sentido e fadada à morte. Aí sim evadiriam os fiéis, pois nada teria a nau de Pedro que os pudesse atrair, mas tal fato já não seria um problema em si, porque não seria mais a Igreja de Cristo, portadora da Salvação.

Desse modo, se há fiéis que abandonam a Igreja, isso se dá em muito pelo afastamento do mundo de Cristo e da verdade. Não cabe à Igreja acompanhar o mundo nesse trajeto infeliz, cabe-lhe manter-se fiel e fazer brilhar o "esplendor da verdade", que nunca deixa de atrair aos que de coração aberto se deixam iluminar por ela.

A Igreja, dessa feita, não irá falsear a doutrina que sempre defendeu na busca de fiéis até porque de nada lhe adiantaria ter fiéis se já não fosse mais a Igreja de Cristo, aquela que, sob a liderança de Pedro, é capaz de ligar e desligar no Céu a partir do que ligar e desligar na terra e em relação a qual as portas do inferno não prevalecerão.

GUIMARÃES, Manoel Luiz Prates. Apostolado Veritatis Splendor

Escrito por

01:34.
Comente aqui... 0


domingo, 15 de julho de 2007

O Bom Samaritano


Amar a Deus de fato, não e outra coisa que ter compaixão e fazer-se próximo de TODOS, sobretudo dos mais necessitados.
Evangelho de hoje: Lucas 10,25-37

...Um homem descia de Jerusalém a Jericó, e caiu nas mãos de ladrões, que o despojaram; e depois de o terem maltratado com muitos ferimentos, retiraram-se, deixando-o meio morto. Por acaso desceu pelo mesmo caminho um sacerdote, viu-o e passou adiante. gualmente um levita, chegando àquele lugar, viu-o e passou também adiante. Mas um samaritano que viajava, chegando àquele lugar, viu-o e moveu-se de compaixão. Aproximando-se, atou-lhe as feridas, deitando nelas azeite e vinho; colocou-o sobre a sua própria montaria e levou-o a uma hospedaria e tratou dele. No dia seguinte, tirou dois moedas de prata e deu-os ao hospedeiro, dizendo-lhe: Trata dele e, quanto gastares a mais, na volta to pagarei. Qual destes três parece ter sido o próximo daquele que caiu nas mãos dos ladrões? Respondeu o doutor: Aquele que usou de misericórdia para com ele. Então Jesus lhe disse: Vai, e faze tu o mesmo.

O bom samaritano nos revela que a verdadeira atitude religiosa é reconhecer nos mais necessitados a presença do próprio é Deus. Amar a Deus, portanto, é a mesma coisa que amar o próximo. E o próximo não é uma questão de escolha, é aquele que aparece no nosso caminho. Sacerdote e levita escolhem, distanciando-se de quem devia se aproximar. E fazem isso acreditando agradar a Deus.

Pseudos cristãos têm comportamento semelhante. Não basta dizer: Senhor, Senhor. Decorar versículos e mais versículos, com o intuito de utilizar apenas como munição para atirar naqueles que são vistos como pecadores, não garante salvação para ninguém.

O verdadeiro cristão age diferente, age com caridade para com o próximo. É semelhante ao bom samaritano que compadeceu-se do homem ferido que encontrou no caminho. Socorrer o necessitado e fazer de tudo por ele foi conseqüência de sua misericórdia, a expressão natural de seu amor.

Enquanto o preconceito divide e gera ódio, a compaixão aproxima e traz vida. Amar a Deus de fato, não e outra coisa que ter compaixão e fazer-se próximo de TODOS, sobretudo dos mais necessitados.

Quatro características deve ter o nosso amor ao próximo:

a. Sobrenatural: amamos os outros por amor a Deus, porque todo próximo é filho de Deus
b. Universal: devemos amar todos sem exceção (Jo 13,35)
c. Ordenado: começar por aqueles, que estão mais próximos de nós
d. Não somente externo, mas também interno: combater toda e qualquer aversão ou mal querença a quem quer que seja.



Escrito por

23:31.
Comente aqui... 0


sexta-feira, 13 de julho de 2007

Declarações polêmicas de Bento XVI



É sempre mais fácil "comprar" o que já vem mastigado no noticiário do que entrar no site oficial do Vaticano, por exemplo, ou procurar um pároco para se informar sobre o que de fato está acontecendo. Segue um trecho de documento oficial, redigido por Joseph Ratzinger (Papa Bento XVI):


"Os cristãos devem se considerar irmãos de todos os homens, e se comportar de acordo com isso. No que diz respeito às religiões não cristãs, a Igreja Católica não rejeita nada daquilo que nelas seja verdadeiro e sagrado. Desse modo, no que diz respeito às outras religiões, os católicos tentam dar valor aos elementos de verdade, não importando onde sejam encontrados, e ao mesmo tempo prestar testemunho da novidade da Revelação de Cristo, preservada em sua integridade pela Igreja. Coerentes com essa atitude, rejeitam como alheio ao Espírito de Cristo qualquer discriminação contra pessoas baseada em religião. As diferenças entre as religiões nunca deveriam ser causa de violência. Em vez disso, as pessoas de credos diferentes devem se sentir motivadas, justamente por causa dessas crenças, a trabalharem pela paz e pela justiça."


Não devemos acreditar prontamente em tudo que diz a mídia. Ela está atualmente dominada por um tipo de intelectualismo predominantemente marxista que detesta o catolicismo, e ainda mais o atual Papa, por ser conservador. O que eles queriam e esperavam do novo pontífice era que fosse um revolucionário, uma espécie de "Che Guevara de batina", lutando pela revolução, por reformas políticas e contra governos, etc, etc, etc... O que o mundo secular mais queria era ver o novo papa liberalizando usos e costumes modernos, como abortos, casamentos homossexuais e pesquisas com células-tronco (um eufemismo para assassinato de fetos que só uma ciência anticristã poderia levar adiante), além da liberação total das novas ”teologias” que mais e mais se afastam do cerne doutrinário original. Mas Bento XVI preferiu iniciar um movimento de volta às origens. Tem muita gente importante decepcionadíssima, e não vão sossegar enquanto durar este papado. Até lá, tudo que ele disser será usado contra ele mesmo.


Há pouco tempo, no Brasil, a mídia divulgou maçiçamente que o Papa teria afirmado que os divorciados são uma "praga", e também que ele tinha decretado que as missas voltassem a ser rezadas em latim, com o sacerdote de costas para os fiéis, excluindo o povo da celebração, entre outras coisas...


A grande maioria, lógico, não se importou em ir buscar os fatos, exatamente como está acontecendo agora. (...) Mas basta uma lidinha no documento oficial do Vaticano para ver que a tradução que a mídia brasileira divulgou (com críticas pesadíssimas ao Papa) estava completamente errada! A palavra "piaga" do original italiano, significa "chaga", e jamais "praga", como muita gente até hoje acha que ele disse. Quem ler o documento vai ver que ele se refere ao crescente número de divórcios entre cristãos (porque ele não ataca as outras religiões, ainda que muitas delas tenham como passatempo favorito atacar o catolicismo) é uma "piaga", ou seja, uma "chaga" para o Cristianismo, motivo de muita tristeza para a Igreja, porque as pessoas estão perdendo o sentido do sagrado nas relações, em especial no matrimônio.


Perceba como a afirmação, vista da maneira como ela realmente foi feita, tem um significado completamente diferente do que foi amplamente divulgado. Sobre o decreto das missas voltarem a ser celebradas em latim, isso simplesmente nunca existiu! O que o Papa propôs foi que em conclaves e celebrações especiais entre cardeais, como uma forma de se preservar uma tradição que remonta ao tempo dos primeiros apóstolos, certas partes da celebração fossem feitas em latim.


Agora me diga: isso foi ou não uma deturpação completa?


Observação importante: Este Papa, desde o início, não está tentando atrair mais adeptos para o catolicismo, ao contrário. Ele está tentando dilapidar a Igreja. Na opinião dele (e na minha), as igrejas andam lotadas, mas de gente que não sabe exatamente o que está fazendo ali, e ele quer mudar isso. Ele já declarou publicamente, questionado sobre a perda de fiéis do catolicismo, que não está preocupado com quantidade, mas sim que os católicos sejam católicos de fato. Só para constar: uma profecia feita por S. Malaquias, há mais de 800 anos, diria que este Papa seria o depurador e renovador da Igreja...


Pra encerrar, sobre a última declaração feita por Bento XVI, sobre o catolicismo ser a única verdadeira Igreja de Cristo. Eu realmente não vejo nenhuma contradição no líder do catolicismo declarando que o catolicismo é a perfeita Igreja de Cristo. O Dalai Lama também diz que o budismo é o verdadeiro caminho da iluminação, e seria muito esquisito se ele falasse o contrário.


O documento diz, basicamente, que não se pode igualar todas as religiões cristãs e colocá-las "no mesmo saco", principalmente porque novas (e malucas) seitas não param de surgir todos os dias. Como as igrejas surgidas depois da Reforma Protestante quebraram a sucessão apostólica e deixaram de lado os sacramentos, elas não podem ser consideradas Igreja, mas sim comunidades cristãs. O documento afirma, entretanto, que isso não significa que os outros cristãos, ou mesmo os seguidores de religiões não-cristãs, estejam excluídos da salvação, mesmo que não se convertam ao catolicismo.


Na verdade, o que o Vaticano II procura é desenvolver o ecumenismo e não o sincretismo. A Igreja sempre se disse a única verdadeira desde quando surgiu (e por motivos óbvios). O que o Papa disse é que a Igreja Católica (que significa UNIVERSAL) é a única que já tem todos os requisitos necessários e suficientes para que uma pessoa esteja no caminho certo do seu desenvolvimento espiritual. Pois, após a cisma do oriente e as ondas da revolução protestante, a Igreja se dividiu, e muitas outras comunidades tentam hoje usurpar um lugar que não lhes pertence. Elas deveriam ter a consciência de reconhecer que são comunidades cristãs sim, mas são protestantes. São Igrejas ortodoxas, mas não universais (católicas). A Igreja Católica é de fato a única que foi fundada por Cristo e todo historiador sabe disso. Mas o Papa tem a consciência de que a Igreja não é a dona da verdade. Ele apenas disse que como INSTITUIÇÃO RELIGIOSA, a Igreja Católica tem todos os requisitos suficientes de que o homem necessita numa instituição. Não disse nada mais que a verdade.


Honestamente, acho que vamos continuar vendo, ainda por um bom tempo, polêmicas forçadas em tudo que esse Papa falar e fizer. Mas a minha opinião pessoal é a de que talvez tudo isso faça parte de um Plano maior, um sinal entre muitos.


H K Merton do blog O amor de Deus

Marcadores:



Escrito por

15:26.
Comente aqui... 1


quinta-feira, 12 de julho de 2007

Aniversário de Inaldo



Aqui, com barba, ao lado de Tonho

Hoje, Inaldo Filho, meu irmão, está completando idade nova. A ele meus votos de felicidades.
Esta noite estaremos là para felicita-lo por mais um aniversàrio. Que Deus, em sua infinita bondade lhe conceda paz, saùde e prosperidade.

Marcadores:



Escrito por

10:59.
Comente aqui... 0


quarta-feira, 11 de julho de 2007

Passado



Nós podemos contemplar nosso passado e chegar à conclusão de que houve lá, não apenas luzes, mas trevas também. Momentos de profundas trevas, momentos de construção, mas de destruição. Épocas da vida em que somamos confusão a confusão.

É possível que aquelas opções do passado agora se voltem contra nós, e é dar mostras de coração magnânimo, generoso e paciente, aceitar como penitência os próprios desastres dos erros cometidos no passado e os reveses que eles nos proporcionam no presente.

Sim, cada um de nós aceite penitencialmente hoje todos os reveses, todos os sofrimentos que nos vem sem o nosso desejo e que direta ou indiretamente, podem estar relacionados com escolhas mal feitas do passado.

Deus será bastante generoso para acolher este espírito e este coração penitente.

Marcadores:



Escrito por

11:22.
Comente aqui... 0


segunda-feira, 9 de julho de 2007

Nos Passos de Maria



“A contemplação de Cristo tem em Maria o seu modelo insuperável. O rosto do Filho pertence-lhe sob um título especial... à contemplação do rosto de Cristo ninguém se dedicou com a mesma assiduidade de Maria.”

(João Paulo II na Carta Apostólica “O Rosário da Bem-Aventurada Virgem Maria”, nº 10).


Esta reflexão de João Paulo II ajuda-nos a compreender, de forma bem real, a importância do testemunho de Maria na vida e na Obra salvífica do Senhor Jesus. De certa forma esta compreensão apela para um contato mais profundo com toda a elaboração do pensamento teológico da Igreja, desde os tempos apostólicos, a respeito da Virgem Maria.

A riqueza de textos, sempre partindo das Escrituras e por elas iluminados, ao longo destes 20 séculos, é imensa, é fascinante e não deixa de empolgar a quantos se dedicam ao contato com estes escritos, tanto na Tradição Latina como na Tradição Oriental.

Creio que foi o que aconteceu com o jovem Autor desta singela Obra mariana, nosso Carlão.

Estudioso da Doutrina Revelada desde sua adolescência, pesquisador incansável, mas acima de tudo um crente convicto e íntegro no seu testemunho de vida cristã, não resistiu ao toque interior da graça divina convocando-o à missão de evangelizar e dotando-o, para tanto, de um particular talento.

A propósito de um livro sobre Maria, de autoria de um pastor protestante, com a única preocupação de esclarecer a Doutrina Católica, e num agradável estilo dialogal, Carlão vai conduzindo o leitor atento pelos caminhos da autêntica Tradição que, sob a inspiração do Espírito Santo e à luz da Revelação bíblica, apresenta o real sentido dos dogmas marianos e sua importância na vida da Igreja de todos os tempos.

O estilo “epistolar”, pois trata-se de uma “carta ao pastor protestante”, é simples, bem constituído, o que certamente será de grande utilidade para os leitores compreenderem a Doutrina mariana de nossa Igreja.

Creio, também, que o fato de um jovem inteligente aplicar seu talento na apresentação e defesa da Fé Católica falará tanto ao coração e à mente dos leitores quanto o conteúdo do livro. É um sinal de vitalidade da Igreja, que nos enche de ânimo e de esperança.

Não será difícil imaginar o terno sorriso da Santa Mãe de Deus para este filho que tanto a ama, sorriso que sempre aponta para o Rosto Divino do Filho amado, Jesus Cristo a Quem seja dada toda a adoração, a glória e o louvor!


+ D. Fr. Alano Maria Pena O.P.

Arcebispo de Niterói.








Marcadores:



Escrito por

23:33.
Comente aqui... 1


domingo, 8 de julho de 2007

Na casa de Claudia


Diversão Pura

Claudia
Comes e bebes

Com toda aquela chuva de ontem nos divertimos bastante. Irmãs e sobrinhas juntas, diversão pura! Claudia achou de comemorar novamente seu aniversario por causa da chegada de Angela.

Eu, Angela, Claudia, Laryssa, Lucimar e Gisele
Eu, Angela, Lucimar e Claudia
Da Esquerda para a direita
Eu, Luana, Claudia, Laryssa, Angela Lucimar
De tras pra frente
Vanessa, Gisele, Angela, Gabi, Lucimar, Eu, Luana Laryssa e Claudia
Eu, Angela, Lucimar e Claudia

Ah, ah, ah, mas eu estou rindo à toa não é que a vida seja assim tão boa, mas um sorriso ajuda a melhorar...



Escrito por

22:42.
Comente aqui... 0


sábado, 7 de julho de 2007

Aniversário de Susi


Suzete, mas para mim, Susi. Minha amiga e mãe do coracão
Viva com alegria os bons momentos! Eles são preciosos e passam depressa demais!

Não existe um dia igual a outro, e é isso que faz com que cada momento seja único.

No meio do corre-corre, lembre-se que fazer uma pausa para olhar à sua volta e perceber a beleza de pequenas coisas que fazem parte do seu dia-a-dia.

Viva a preciosidade de cada momento e faça com que todos os seus dias sejam muito especiais!

Feliz aniversário!


Marcadores:



Escrito por

13:59.
Comente aqui... 0


sexta-feira, 6 de julho de 2007

Maledicência I


“Fala-se muito por falar, para matar tempo”. A palavra, não poucas vezes, converte-se em estilete da impiedade, em lâmina da maledicência e em bisturi da revolta”.

Toda pessoa não suficientemente realizada em si mesma tem a instintiva tendência de falar mal dos outros. Qual a razão última dessa mania de maledicência?

Talvez seja um complexo de inferioridade unido a um desejo de superioridade. Diminuir o valor dos outros dá a grata ilusão de aumentar o seu valor próprio. Algumas pessoas não estão em condições de medir o seu valor por si mesma. Necessitam medir o seu próprio valor desvalorizando o dos outros.

Essas pessoas julgam necessário apagar as luzes alheias a fim de fazerem brilhar mais intensamente a sua própria luz.

Por isso só podem luzir nas trevas da noite, porque a luz das suas lanternas fosfóreas é muito fraca. Quem tem bastante luz própria não necessita apagar ou diminuir as luzes dos outros para poder brilhar.

Quem tem valor real em si mesmo não necessita medir o seu valor desvalorizando os outros. Quem tem vigorosa saúde espiritual não necessita chamar de doentes os outros para gozar a consciência da saúde própria.

Falar mal das misérias alheias é um prazer tão sutil e sedutor – algo parecido com whisky, gin ou cocaína – que uma pessoa de saúde moral precária facilmente sucumbe a essa epidemia.

A palavra é instrumento valioso para o intercâmbio entre os homens. Ela, porém, nem sempre tem sido utilizada devidamente. Poucos são os homens que se valem desse precioso recurso para construir esperanças, mitigar dores e traçar rotas seguras. Fala-se muito por falar, para “matar tempo”. A palavra, não poucas vezes, converte-se em estilete da impiedade, em lâmina da maledicência e em bisturi da revolta.

Semelhantes a gotas de luz, as boas palavras dirigem conflitos e resolvem dificuldades. Falando, não há muito, Hitler hipnotizou multidões, que cegas, atiraram-se sobre outras nações, transformando-as em ruínas. Guerras e planos de paz sofrem a poderosa influência da palavra. Há quem pronuncie palavras doces, com lábios encharcados pelo fel.

Há aqueles que falam meigamente, cheios de ira e ódio. São enfermos em demorado processo de reajuste. Portanto, cabe às pessoas lúcidas e de bom senso, não dar ensejo para que o veneno da maledicência se alastre, infelicitando e destruindo vidas.

Pense nisso! Desculpemos a fragilidade alheia, lembrando-nos das nossas próprias fraquezas. Evitemos a censura. A maledicência começa na palavra de reprimenda inoportuna. Se desejamos educar, reparar erros, não os abordemos estando o responsável ausente. Toda a palavra torpe, como qualquer censura contumaz, faz-se hábito negativo que culmina por aviltar o caráter de quem com isso se compraz.

Enriqueçamos o coração de amor e banhemos a mente com as luzes da misericórdia divina. Porque, de acordo com o Evangelho de Lucas, “O homem bom tira coisas boas do bom tesouro do seu coração, e o homem mau tira coisas más do seu mau tesouro, porque a boca fala daquilo de que o coração está cheio. (Lucas 6,45)

Marcadores:



Escrito por

21:30.
Comente aqui... 0


quarta-feira, 4 de julho de 2007

Fostes chamados para a liberdade


Palavra de Vida - Julho/2007

“Fostes chamados para a liberdade”
(Gl 5,13)

Entre os anos 50 e 60 o apóstolo Paulo tinha visitado a região da Galácia, no centro da Ásia Menor, atual Turquia. Surgiram comunidades cristãs que abraçaram a fé com grande entusiasmo.

Paulo lhes revelara Jesus crucificado, e eles tinham recebido o batismo, o qual os revestira de Cristo, comunicando-lhes a liberdade dos filhos de Deus. Eles “corriam bem” no novo caminho, como o próprio Paulo reconhece.
Depois, inesperadamente, buscam a própria liberdade por outros caminhos. Paulo fica admirado com o fato de eles terem voltado as costas a Cristo tão depressa. Daí o convite insistente para reencontrarem a liberdade que Cristo lhes tinha dado:

“Fostes chamados para a liberdade”

A que tipo de liberdade somos chamados? Já não podemos fazer o que queremos?

“Nunca fomos escravos de ninguém”, era o que diziam, por exemplo, os contemporâneos de Jesus quando Ele afirmava que a verdade trazida por Ele os tornaria livres. E Jesus respondera: “Todo aquele que comete o pecado é escravo do pecado”1.

Existe uma escravidão traiçoeira, fruto do pecado, que prende o coração humano. Conhecemos bem a variedade de suas manifestações: a preocupação só consigo mesmo, o apego aos bens materiais, o hedonismo, o orgulho, a ira…

Sozinhos, jamais seremos capazes de nos libertar radicalmente dessa escravidão. A liberdade é um dom de Jesus: Ele nos libertou, fazendo-se nosso servo e dando a vida por nós. Daí o convite a sermos coerentes com a liberdade que nos foi dada.

Essa liberdade “não significa tanto a possibilidade de escolher entre o bem e o mal, quanto de caminhar sempre mais rumo ao bem”, afirma Chiara Lubich, dirigindo-se aos jovens. E prossegue:

“Tenho constatado que o bem liberta, o mal escraviza. Ora, para ter a liberdade é preciso amar. Pois aquilo que nos torna mais escravos é o nosso eu.

Ao passo que, pensando sempre no outro, ou na vontade de Deus quando cumprimos os próprios deveres, ou no próximo, não pensamos em nós e somos livres de nós mesmos”2.

“Fostes chamados para a liberdade”

Como podemos, então, viver esta Palavra de Vida?

O próprio Paulo nos dá a indicação quando, logo após ter-nos lembrado que fomos chamados para a liberdade, explica que a mesma consiste em nos fazermos “escravos uns dos outros”, “pelo amor”, “pois toda a lei se resume neste único mandamento: Amarás o teu próximo como a ti mesmo”3.

Esse é o paradoxo do amor: somos livres quando por amor nos colocamos a serviço dos outros; quando, contrariando os impulsos egoístas, nos esquecemos de nós mesmos e estamos atentos às necessidades dos outros.

Somos chamados à liberdade do amor: somos livres para amar! Sim, “para ter a liberdade é preciso amar”.

“Fostes chamados para a liberdade”

O bispo Francisco Xavier Nguyen Van Thuan, preso por causa de sua fé, permaneceu encarcerado por 13 anos. Mas também aí ele se sentia livre, porque tinha sempre a possibilidade de amar, pelo menos, os carcereiros.

Ele mesmo conta: «Quando me isolaram dos outros companheiros na prisão, puseram cinco guardas para me vigiar, seguindo um rodízio. Dois deles sempre estavam comigo. Os seus chefes lhes haviam dito: “De quinze em quinze dias vocês serão substituídos por outro grupo, para não serem ‘contaminados’ por esse bispo perigoso”. Após algum tempo mudaram de idéia: “Não vamos mais fazer o rodízio, senão esse bispo ‘contaminará’ todos os soldados”.
No começo, os guardas não falavam comigo. Respondiam apenas sim ou não. Era realmente triste. (…) Evitavam falar comigo.

Uma noite, veio-me à mente um pensamento: “Francisco, você é muito rico, tem o amor de Cristo no coração; ame-os como Jesus amou você”.
No dia seguinte comecei a querer-lhes bem ainda mais, a amar Jesus na pessoa de cada um deles, sorrindo e trocando palavras gentis. Contei como tinham sido minhas viagens ao exterior (…) Quiseram aprender línguas estrangeiras, como o francês, o inglês… Em suma, os meus guardas tornaram-se meus alunos! 4»




Organização de Fabio Ciardi e Gabriella Fallacara

1) Cf. Jo 8,31-34);
2) Respostas às perguntas dos jovens, Palaeur, Roma, 20/05/1995;
3) Cf. Gl 5,13-14;
4) Testemunhas da Esperança, São Paulo: Cidade Nova, 2002, p. 82.

Marcadores:



Escrito por

22:34.
Comente aqui... 1


terça-feira, 3 de julho de 2007

Mau caratismo




Quem ja sentiu na pele, sabe!
Recebi três textos interessantes, que publicarei um por um, que irá servir para a reflexão de todos. Devemos nos cuidar para não sermos vítimas e, também, para não agirmos da mesma maneira.

Que tipo de contribuição você dá, para que o mau caratismo, a fofoca, a calúnia, a difamação e a intriga não sobrevivam na Terra?

Nós tomamos vacinas contra varíola, febre amarela, paralisia infantil, meningite e uma série de males, para que não sejamos contaminados por eles. Instalamos equipamentos modernos de segurança em nossas casas, acompanhando a inteligência da avançada tecnologia; instalamos antivírus em nossos computadores para que não sejamos contaminados, instalamos alarmes em nossos carros, ao andar nas ruas das grandes cidades seguramos bem as nossas bolsas e pastas, porque já temos experiência em saber que os trombadinhas poderão arrastar a qualquer momento, se percebemos que começam a aparecer baratinhas ou sinais de ninhos de ratos em nossas casas, providenciamos logo comprar inseticidas e raticidas para acabar com o mal logo no começo... Muitas pessoas hoje já estão se alertando até pelo que diz na imprensa, para não absorverem tudo com verdade absoluta, haja vista os diferentes níveis e tendências de veículos de comunicação.

Mas não nos prevenimos e nem dedicamos nenhum cuidado contra um mal muito pior que prejudica a vida do homem, causa desgraças terríveis, injustiças, torturas e até destruição em massa, que é o mau caratismo.

Não se vê livro nenhum ensinando as pessoas como se livrar ou pelo menos se prevenir contra o mau caratismo. Não há curso nenhum, em colégio ou faculdade alguma, tratando deste assunto. Mas será que a gente precisa de cursos e livros para estarmos prevenidos contra isto? Será que a experiência nossa de cada dia, altamente ilustrada, não é o suficiente? Vejamos:

O mais lamentável de tudo, é que todos nós que assistimos filmes no cinema e na televisão, acompanhamos novelas e dramas e temos também muita experiência em saber como agem as pessoas de mau caráter, o que elas costumam fazer quando desejam destruir alguém, as suas estratégias, os seus venenos espirituais, os seus cinismos em se apresentarem como santas para as pessoas, camuflando sempre as suas maldades e perversidades, o sangue frio como agem, a indiferença e a insensibilidade humana mas não fazemos absolutamente nada para evitar que as suas ações continuem a acontecer.

Já era tempo de estarmos bastante experientes e prevenidos, dificultando a ação das pessoas de mau caráter.

Não é preciso você se formar em Psicologia, basta começar a perceber alguns detalhes que a psicologia ensina, não apenas para os psicólogos mas para a criatura humana de um modo geral.

Em princípio saiba que:

Inimigo nunca deve merecer credibilidade nenhuma, em momento algum, sob nenhuma hipótese.

Da mesma forma carta anônima, informações que você não consiga identificar a origem, e nem informação que, mesmo tendo um informante identificado, mas esse não assume a responsabilidade sobre o que está dizendo merecem qualquer credibilidade.

Conclusões tiradas com base em “disse-me-disse” só podem ser praticadas por pessoas de coeficientes de inteligências muito rasteiros.

“Ah! Mas saiu na revista Tal e Tal”.

Mesmo assim, a informação deve ser checada, com muito cuidado e critério. Jamais absorver de pronto como sendo necessariamente verdadeira e muito menos que os fatos ocorreram daquele jeito como foi passado ao público.

Imagine você, se há dois mil anos atrás, existissem revistas, jornais, rádios e televisões em Roma, tudo sob o rigoroso domínio de César, o que eles diriam a respeito de Jesus.

Tenhamos muito cuidado, mas muito mesmo, contra as estratégias mafiosas e sem vergonha de um monte de gente.

Saibamos que gente não só da Igreja mas principalmente do governo da época, em determinado momento na história deste país, tentou passar para o grande povo católico que Dom Hélder Câmara era um bandido, agitador, incendiário, subversivo e perigoso. No entanto, foi um dos homens de maior honra, bondade, altivez, honestidade, caráter, coragem, dignidade e humildade autêntica que o Brasil já teve. Exemplo de autêntico amor.

O problema é que ele nunca abriu mão do seu caráter e da sua dignidade para servir aos interesses de canalhas do religiosismo e da política comprometida.

Irmã Dulce, também, em Salvador teve um momento em que foi vítima de processo de difamação, promovida por gente até da própria igreja católica, a sua igreja, que ela tanto amou. No entanto foi uma das mulheres mais extraordinárias da história do Brasil, que jamais será esquecida pelas pessoas de bem.

Mahatma Gandhi também foi vítima de uma trama inglesa, para manipular a consciência do povo da Índia sobre a sua conduta, a sua honra e as suas intenções. Muita gente foi na onda. Acabou sendo assassinado.

O próprio Jesus, o Cristo, foi uma das maiores vítimas de toda a história da humanidade, por causa do mau caratismo. A sem-vergonhice foi tão bem planejada, que convenceram a um apóstolo seu, que vivia ao seu lado o tempo todo, que convivia com ele, que testemunhava as suas ações e intenções, a entregá-lo ao suplício.

As pessoas não analisam as outras pelo que elas são, pelo que elas fazem, pelo que praticam, pelo que elas mesmas testemunham do seu comportamento, da sua filosofia de vida repetida ao longo de anos e anos, mas pelo que um ou outro venha a achar dela.

Cuidado com quem vive a espalhar notícias difamando os outros, porque esses são também verdadeiros terroristas. Nenhuma pessoa de bom caráter difama ninguém, jamais!

Não há um idealista sequer, em toda a história da humanidade, que não tenha sofrido ação de canalhas para lhe calarem a boca e lhe tirarem de cena.

O homem honesto, bom, criativo, produtivo, sincero, franco, autêntico e dinâmico sempre incomodou. Eles são os principais alvos das pessoas de mau caráter.




Escrito por

01:01.
Comente aqui... 0


Natural de Recife-Pe

"Cristão é meu nome e Católico é meu sobrenome. Um me designa, enquanto o outro me especifica.Um me distingue, o outro me designa. É por este sobrenome que nosso povo é distinguido dos que são chamados heréticos." (São Paciano de Barcelona, Carta a Sympronian, 375 D.C.)

"Hoje, o que os outros pensam de mim muito pouco me importa [a não ser que sejam pessoas que me amam], porque a minha salvação não depende do que os outros pensam de mim, mas do que Deus sabe a meu respeito".




Minha irmã...
ღஐºSaudade é o amor que fica!ღஐº

"O tempo não pára! A saudade é que faz as coisas pararem no tempo"...

"Duas pessoas que se amam não podem deixar de se encontrar e, pelo mesmo motivo, não podem ser separadas.
Uma  torna a outra 'eterna'
por amor."


Fotos de Valda







"O crucifixo é antes de tudo o sinal distintivo da única e verdadeira religião, a CATÓLICA, depois vem o resto".


"O católico que escolhe seus dogmas e seus mandamentos não é católico, é protestante." (Gustavo Corção)


"Os inimigos do Brasil querem que você se omita.
Mostre-lhes que eles estão enganados e que você está alerta.
O Brasil é, e continuará a ser Terra de Santa Cruz"!


"O PL 122 é uma aberração jurídica, viola a liberdade religiosa e cria uma categoria de indivíduos especiais. Esse Projeto é inconstitucional, ilegítimo e heterofóbico"!

“Olha, eu acho que tem que haver a descriminalização do aborto. Hoje, no Brasil, isso é um absurdo que não haja a descriminalização.” Em sabatina à Folha de S. Paulo - 4 de outubro de 2007. "Eu acho que, o aborto, do ponto de vista de um governo, é uma questão não é de foro íntimo, é uma questão de saúde pública".


Salve meu selinho e
cole em seu blog!



  • Amor de Deus
    Cantinho de Paz
    Cimo da Montanha
    Carmem
    Elsa
    Família de Nazaré FBV
    Guia de Blogs Católicos
    Lilian Cipriano
    Maria João
    Observatório da Perseguição
    O Intercessor
    Paulo Costa
    Nilceia
    Peregrino
    Reflexões
    União de Blogs Católicos
    Verbo Pai


    Almas
    AMA
    Anti-difamação
    Cleofas
    CIC
    Culinaria Terra
    Dom Hélder Câmara
    Encantos e Paixões
    Enciclopédia Católica
    Fábio de Melo
    Focolares
    Mais Blogs
    Olavo de Carvalho
    Mí­dia sem Máscara
    Priberam
    Taizé
    Vaticano
    Veritatis

    A Palavra Liberta: Conhecendo Maria,
    Bíblia Católica,
    Catecismo da Igreja Católica,
    Imitação de Cristo,
    Meditações,
    O Banquete do Cordeiro, a Missa segundo um convertido,
    O Grito,
    Redescobrindo Maria a partir dos Evangelhos,
    Saber Perder.



    Imagens:Patswebgraphics
    Layout:
    by Heidi


    Trento, 1944.
    Em um refúgio anti-aéreo abrimos ao acaso o Evangelho na página do Testamento de Jesus:
    “Pai, que todos sejam um, como eu e tu”.
    Aquelas palavras pareciam iluminar-se uma a uma. Aquele "todos" foi o nosso horizonte. Aquele Projeto de Unidade a razão da nossa vida.

    Chiara Lubich

    "Os homens gastam-se tanto em palavras que não conseguem entender o silêncio de Deus".
    Dom Hélder




    "A missão materna de Maria em favor dos homens de modo algum obscurece nem diminui a mediação única de Cristo; pelo contrário, até ostenta sua potência, pois todo o salutar influxo da bem-aventurada Virgem deriva dos superabundantes méritos de Cristo, estriba-se em sua mediação, dela depende inteiramente e dela aufere toda a sua força."
    "Com efeito, nenhuma criatura jamais pode ser equiparada ao Verbo encarnado e Redentor. Mas, da mesma forma que o sacerdócio de Cristo é participado de vários modos, seja pelos ministros, seja pelo povo fiel, e da mesma forma que a indivisa bondade de Deus é realmente difundida nas criaturas de modos diversos, assim também a única mediação do Redentor não exclui, antes suscita nas criaturas uma variegada cooperação que participa de uma única fonte."


    "Onde está Pedro, aí está a Igreja católica".
    (Santo Ambrósio)


    "Onde está a Igreja, aí está o Espírito de Deus"...
    "A Igreja é minha mãe... As censuras que lhe são feitas, não carecem, todas, de fundamento. Mas o volume dessas queixas não supera a grandeza do Mistério-Sacramento que é a Santa Igreja, o Corpo de Cristo prolongado". (Santo Agostinho)

    Em nenhum símbolo de Fé temos o atributo "Romana" designando a Igreja de Cristo, isso por que ser designado como Romana não é atributo da Igreja e sim uma referência a sua origem e sua Sé Primaz. Santa, Una, Católica e Apostólica são seus atributos, Romana é sua origem. A Igreja de Cristo nasceu no Império Romano, ganhou o mundo a partir de Roma, e em Roma foi estabelecida a Sé Primaz dessa Igreja, por isso, os cristãos do mundo inteiro devem estar em comunhão com a Sé Romana, onde repousa a Cátedra de Pedro, a Sé Apostólica.



    Conferência Nacional
    dos Bispos do Brasil










    Zilda Arns
    "Viveu como santa, morreu como mártirr".

    Fundadora da Pastoral da Criança, a médica dedicou a existência a minorar o sofrimento dos despossuídos e a evitar o desperdício da vida. Até o último minuto

    A ÚLTIMA PREGAÇÃO
    Escombros da Igreja Sacré Coeur de Tugeau, em cuja casa paroquial Zilda Arns proferiu uma palestra antes de morrer


    Crianças desaparecidas





    Quem bebe e dirige
    pode matar ou morrer




    Pesquise aqui:
    Google Custom Search




    miarroba.com